Portal da Cidade Rio Claro

vacinas

Vacinados por engano contra Covid são submetidos a exames em Itirapina

Eles iriam tomar a vacina contra a gripe mas receberam dose da Coronavac

Publicado em 19/04/2021 às 00:05
Atualizado em

18 adultos, entre eles uma gestante, e 28 crianças foram vacinados por engano em Itirapina (Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo)

As 28 crianças e a gestante vacinadas por engano contra a Covid-19 em Itirapina, cidade a 215 km de São Paulo, foram submetidas no último sábado (17) a exames.

Testes sorológicos foram feitos nas crianças enquanto a mulher grávida foi submetida a ultrassom. Todas passam bem, segundo a assessoria de imprensa da prefeitura.

O envio errado de frascos da Coronavac, vacina contra a Covid-19, para um local em que estava sendo realizada a campanha de vacinação contra gripe fez com que 46 pessoas fossem imunizadas indevidamente em Itirapina.

Após detectar o erro, a Secretaria da Saúde de Itirapina procurou pessoalmente as famílias dos 46 vacinados para informar sobre o engano.

O Butantan informou que, conforme indicado em bula, a vacina Coronavac é indicada para indivíduos com 18 anos ou mais e que, no caso de crianças e gestantes expostas à vacina, não é indicada a aplicação da segunda dose do imunizante.

"Não há conclusões científicas até o momento de segurança ou eficácia da vacina adsorvida Covid-19 [inativada] na população pediátrica ou em gestantes", diz trecho da nota do instituto.

Ainda de acordo com o Butantan, é importante que, em situações como a ocorrida em Itirapina, a vigilância municipal acompanhe e colete informações individuais das gestantes e das crianças expostas.

As demais 17 pessoas vacinadas por engano são adultos. A Secretaria de Saúde afirmou que aguarda orientação da Vigilância Epidemiológica para definir se eles receberão a segunda dose da Coronavac.

Na sexta (16), a prefeita de Itirapina, Maria da Graça Zucchi Moraes, a Dona Graça (PSDB), disse que a aplicação das vacinas ao grupo de 46 pessoas foi "lamentável".

@citacao!

Ela afirmou que a prefeitura investiga como o erro aconteceu. "A gente acha imperdoável, embora não queiramos crucificar ninguém. Mas essa falta de atenção, essa displicência, talvez porque estão cansados, o pessoal vem vindo de uma jornada longa de vacinação, pode ser isso?"

Tomar a vacina errada não é um fato inédito em São Paulo. Na terça-feira (13), devido a uma falha interna de comunicação na Secretaria Municipal da Saúde, 103 agentes de trânsito da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) receberam por engano a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na capital. Todos deveriam ter sido imunizados contra a gripe.

Fonte:

Receba as notícias de Rio Claro no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário