Portal da Cidade Rio Claro

Mobilidade

Carlos Cezar solicita faixas exclusivas e fim da cobrança para motos em pedágios

Medida é válida para novas concessões de rodovias federais. Deputado quer estendê-la para os contratos estaduais.

Publicado em 29/06/2022 às 16:54
Atualizado em

(Foto: Divulgação / Comunicação Pr. Carlos Cezar)

Por questões de economia e agilidade, o tráfego de motos nas rodovias tem aumentado continuamente, o que sujeita os motociclistas a compartilhar o mesmo espaço com carros e caminhões e, consequentemente, maior exposição a acidentes. A exemplo da Portaria nº 104 do Ministério da Infraestrutura, de 11 de agosto de 2021, que prevê faixas e cabines exclusivas, além da isenção da tarifa de pedágio para motocicletas em novas concessões das estradas federais, o deputado Carlos Cezar (PL) propõe que a mesma iniciativa seja adotada nos contratos das rodovias paulistas.


LEIA TAMBÉM

Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), mais de 33 milhões de brasileiros são habilitados a pilotar na categoria A (motocicletas, motonetas, ciclomotores e triciclos) ou combinando as categorias AB, AC, AD e AE. O custo anual do Sistema Único de Saúde (SUS) com a hospitalização de ciclistas acidentados é estimado em aproximadamente R$ 840 milhões.

Já um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) aponta mais de 30 mil mortes por ano no trânsito do país, numa média de três pessoas a cada três horas. Os motociclistas representam aproximadamente 35% do total dos óbitos.

Além dos fatores de agilidade e economia, Carlos Cezar lembra do constante aumento na porcentagem dos serviços de motofrete e delivery no Brasil, especialmente, num cenário motivado pela pandemia. “Mais do que um meio de transporte, as motos representam o sustento de milhões de trabalhadores e famílias. Com a isenção de cobrança e as faixas exclusivas de pedágio, queremos prevenir acidentes e, principalmente, preservar vidas também nas rodovias estaduais de São Paulo”, ressalta.

O deputado encaminhou a moção de apelo com a solicitação de estudos da viabilidade da medida à Secretaria do Estado de Logística e Transportes, à Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp)e às concessionárias de rodovias SP Mar, Tamoios, Via Paulista, Rota das Bandeiras, Cart, Eixo SP, Ecopistas, Rodovias do Tietê, Via Rondon e Entrevias.

Fonte:

Receba as notícias de Rio Claro no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário